Go to Top

Open Space – Aprendizado coletivo

Vivemos em um mundo VUCA (Volatility, uncertainty, complexity and ambiguity) que descreve as quatro características marcantes do momento em que estamos vivendo: Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade.

Há muitos anos venho estudando novas formas de aprendizado que acabou me levando a colocar meu filho mais novo no Amorim Lima que é uma escola municipal inovadora que há mais de 15 anos tem um modelo de ensino sem provas e aulas “normais” e tem como base o modelo da Escola da Ponte. O mais velho está há um ano e meio estudando fora da escola e fazendo um modelo livre focado em desenvolver seus TALENTOS. Este modelo é cohecido como “unschooling”.

O desafio das pessoas e empresas é criar novos modelos de aprendizado que sejam mais ágeis.


Tecnologia Open Space

Artigo reproduzido do site Cocriar.com.br

Trata-se da criação de um espaço aberto no qual os participantes propõem e se responsabilizam pelos temas a serem discutidos e aprofundados, criando a própria agenda do evento. É uma forma de organizar reuniões, conferências ou grupos aproveitando a motivação dos indivíduos, fazendo uso da capacidade de auto-organização inerente a qualquer sistema vivo (neste caso, o grupo de pessoas). Provoca uma migração dos participantes da posição de expectadores para protagonistas do processo. Pode ser usado para o planejamento de ações, resolver conflitos, gerar novas idéias… com grupos apartir de uma dúzia de pessoas, até muitas centenas (o maior grupo que já co-facilitamos era de 800 pessoas).

O Open Space tem como princípio básico a combinação da paixão com a responsabilidade, que é incorporado em sua única regra: a lei dos dois pés… “Se você está em um lugar onde não esteja nem contribuindo, nem aprendendo, use os seus dois pés e vá para outro lugar.

Além da lei, temos quatro princípios:

  • Quem quer que venha, são as pessoas certas.
  • Quando começar é a hora certa.
  • O que quer aconteça é a única coisa que poderia ter acontecido.
  • Quando acabar, acabou.

As condições para um bom Open Space são:

  • Um problema real
  • Diversidade e complexidade (de pessoas e opiniões)
  • Desprendimento do resultado
  • Senso de urgência (é pra ontem!)
  • Conflito efetivo ou potencial

A simplicidade do Open Space cria o mínimo de estrutura para que a ordem emerja do caos, e possamos experimentar o caminho caórdico. Esteja preparado para ser surpreendido!


Vídeos sobre Open Space

 

Open Space e aprendizagem ágil

O Open Space pode ser aplicado em diversas situações e uma amiga – Su Verri – que tem dois filhos unschoolers e também tem como missão de vida a EDUCAÇÃO LIVRE está criando espaços de aprendizagem para jovens e adultos.

A Imersão em Aprendizagem Ágil acontece na Ecovila Gamarra e vale a pena conhecer (e PARTICIPAR).

O ALC é uma rede internacional de escolas, grupos de unschooling e outras iniciativas educacionais e organizações comunitárias que estão empoderando as pessoas para que elas sejam autoras das próprias vidas e construtoras de seu próprio percurso de aprendizagem auto dirigida. E, nós lideramos pelo exemplo.

O ALF Brasil é a formação para quem quer se tornar Facilitador em Aprendizagem Ágil (Agile Learning) e, utilizar ferramentas que transformam escolas, universidades, empresas e diferentes coletivos, em ambientes pulsantes de autonomia, colaboração e criatividade. Além de obter conhecimento e ferramentas de facilitação, a ideia é vivenciar a cultura dos ALCs (Agile Learning Centers), rede que conta hoje com mais de 50 projetos ao redor do mundo e, sentir na pele como é uma educação livre, dinâmica, divertida, orgânica, mas com clareza, estrutura, direção e responsabilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *