Go to Top

O dia em que a Terra parou

Sou fã do Raul Seixas, o eterno Maluco Beleza. Fazia algum tempo que não ouvia as músicas dele e lembrei da música “O dia em que a Terra parou”.

No dia em que a Terra parou (eu acordei)

Alguns artistas tem um dom de PROFETA, mas não é porque tem poderes mágicos. Talvez sejam mais livres para enxergar o mundo como ele realmente é. Agora que a Terra PAROU MESMO, talvez seja a hora de ACORDARMOS! Veja também o meu post Lições do Coronavírus com uma seleção de vídeos BEM OTISMISTAS para acordarmos para um NOVO MUNDO.

Essa noite eu tive um sonho
De sonhador
Maluco que sou, eu sonhei
Com o dia em que a Terra parou
Com o dia em que a Terra parouFoi assim
No dia em que todas as pessoas
Do planeta inteiro
Resolveram que ninguém ia sair de casa
Como que se fosse combinado em todo
O planeta
Naquele dia, ninguém saiu de casa, ninguém ninguémO empregado não saiu pro seu trabalho
Pois sabia que o patrão também não tava lá
Dona de casa não saiu pra comprar pão
Pois sabia que o padeiro também não tava lá
E o guarda não saiu para prender
Pois sabia que o ladrão, também não tava lá
E o ladrão não saiu para roubar
Pois sabia que não ia ter onde gastarNo dia em que a Terra parou (êê)
No dia em que a Terra parou (ôô)
No dia em que a Terra parou (ôô)
No dia em que a Terra parouE nas Igrejas nem um sino a badalar
Pois sabiam que os fiéis também não tavam lá
E os fiéis não saíram pra rezar
Pois sabiam que o padre também não tava lá
E o aluno não saiu para estudar
Pois sabia o professor também não tava lá
E o professor não saiu pra lecionar
Pois sabia que não tinha mais nada pra ensinarNo dia em que a Terra parou (ôô)
No dia em que a Terra parou (ôô)
No dia em que a Terra parou
No dia em que a Terra parouO comandante não saiu para o quartel
Pois sabia que o soldado também não tava lá
E o soldado não saiu pra ir pra guerra
Pois sabia que o inimigo também não tava lá
E o paciente não saiu pra se tratar
Pois sabia que o doutor também não tava lá
E o doutor não saiu pra medicar
Pois sabia que não tinha mais doença pra curarNo dia em que a Terra parou (oh yeah)
No dia em que a Terra parou (foi tudo)
No dia em que a Terra parou (ôô)
No dia em que a Terra parouEssa noite eu tive um sonho de sonhador
Maluco que sou, acordeiNo dia em que a Terra parou (oh yeah)
No dia em que a Terra parou (ôô)
No dia em que a Terra parou (eu acordei)
No dia em que a Terra parou (acordei)
No dia em que a Terra parou (justamente)
No dia em que a Terra parou (eu não sonhei acordado)
No dia em que a Terra parou
No dia em que a Terra parou (no dia em que a terra
Parou)

Fonte: LyricFindCompositores: Claudio Roberto Andrade De Azeredo / Raul SeixasLetra de O Dia Em Que a Terra Parou © Warner Chappell Music, Inc


Vejam o trecho do post “O Eterno Maluco Beleza
Fonte: https://www.clickriomafra.com.br/rocknauta/23-sem-o-eterno-maluco-beleza

“Imagine que não exista nenhum país/ (…) Nada por que matar ou morrer/ Nenhuma religião também”. Nos célebres versos de “Imagine”, John Lennon anunciava uma sociedade utópica. E ele iria além da canção: em manifesto, concebeu a tal nação fictícia, batizada de Nutopia“Sem terra, sem fronteiras, sem passaportes, só pessoas. Nutopia não tem leis que não as cósmicas”, declaravam o ex-beatle e sua esposa, Yoko Ono, em 1973.

No ano seguinte, um roqueiro brasileiro apresentava ao público sua versão da “Sociedade Alternativa”“Faze o que tu queres, pois é tudo da lei”, cantou Raul Seixas.

Não era coincidência. Cada um à sua maneira, Lennon e Raul bebiam da mesma fonte, que seduzia jovens no mundo inteiro em tempos de descrença nos poderes e nas instituições: a contracultura. Dos hippies aos anarquistas, os anos 70 abrigaram diversas experiências de rejeição a todos os sistemas políticos estabelecidos, e propostas de comunidades alternativas que colocassem o ser humano como centro da vida social.


Temos assistido muito Netflix e meu filho que AMA ESCREVER e está aprendendo a criar sites com WordPress fez este post no site do Lar Vegan que é um espaço e restaurante vegano em São Paulo sobre “Longa metragens sobre nossa relação com a natureza“.

Confesso que eu tinha uma visão dos veganos como “malucos belezas” da alimentação e achava meio radical não comer nada que tenha origem animal. Pelo visto, que são os MALUCOS somos nós que comemos carne e ainda somos guiados pelo consumo. Qual é a sua opinião?

,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *