Go to Top

Futuro do Trabalho – Você está preparado?

Seu trabalho tem futuro?

A Revista Época publicou como matéria “Seu trabalho tem futuro?” como capa neste mês (Fevereiro/2014) com a chamada:

Após substituir o trabalho braçal, na Revolução Industrial, as máquinas começam a substituir o trabalho intelectual nos escritórios.

A matéria começa descrevendo o seguinte episódio:

“O russo Gary Kasparov não foi apenas o maior jogador de xadrez de seu tempo. Quando aceitou jogar contra o supercomputador Deep Blue, em 1997, era considerado o maior enxadrista de todos os tempos. “Não acho apropriado discutir o que eu faria em caso de derrota”, disse, antes do duelo. “Nunca perdi.” Em outra ocasião, foi ainda mais confiante: “Nunca vou perder para uma máquina”. Depois de oito dias e seis partidas, o que parecia improvável aconteceu. A máquina venceu o homem num duelo de capacidade intelectual. A vida profissional de Kasparov foi diretamente afetada a partir daquele dia 11 de maio. ”
Fonte: Revista Época

Versão em podcast – https://soundcloud.com/marciookabe
O Futuro do Trabalho by Marcio Okabe

Achei a matéria excelente, principalmente por citar excelentes fontes sobre os temas TRABALHO e FUTURO. Destaco as 3 características humanas que as máquinas não conseguem reproduzir:

  • Inteligência Social – Capacidade de negociar, persuadir e cuidar.
  • Criatividade – Capacidade de interpretar e improvisar.
  • Percepção e manipulação – Capacidade de adaptar movimentos e esforços, em atividades aparentemente iguais, mas que jamais ocorrem duas vezes do mesmo jeito.

Um dos destaques é o estudo de Carl Frey e Michael Osborne, da Universidade de Oxford, cujo resultado é um índice de risco das profissões que varia de 0% (sem risco de desaparecer) até 100% (VAI DESAPARECER). Clique na tabela ao lado que foi publicada na Época e veja a listas das profissões (espero que sua profissão esteja perto do 0%).

Destaco algumas delas:

  • Menos ameaçadas – Terapeuta recreacional, nutricionista, coreógrafo, professor do ensino fundamental, curador de exposições, etc.
  • Pouco ameaçadas – Advogado, artesão, chef, repórter, ator, etc.
  • Mais ameaçadas – Padeiro, garçom, despachante, corretor de imóveis, juiz de futebol, operador de telemarketing, etc.

Destruição Criativa – Joseph Schumpeter

Um dos melhores insights da matéria é o conceito de destruição criativa e dos ciclos da economia. No artigo “Será que dá para falar do futuro sem a tola pretensão de prevê-lo?Dá sim. A quinta onda é o seu futuro” podemos compreender que as crises são sinais da mudança que que estamos vivenciando uma quinta onda de mudanças, portanto o futuro depende das nossas escolhas no presente.

Era da escassez ou era da abundância?

Apesar de excelente, creio que a matéria da Época não levantou (nem poderia) algumas tendências que tenho estudado e que acho que valem boas reflexões. O modelo atual de trabalho é baseado no emprego integral e dinheiro que tem como premissa a ESCASSEZ de recursos materiais. Porém, há uma outra linha de pensamento que defende a ideia que estamos entrando em uma era de ABUNDÂNCIA de recursos humanos e criativos.  O fato é que temas como SUSTENTABILIDADE, energia limpa, cocriação, colaboração, ecologia, felicidade, etc, estão ganhando cada dia mais evidência no mundo dos negócios. Muitas pessoas estão descontentes com seu trabalho atual e buscam mudar de vida e carreira.

É sobre esta linha de pensamento que gostaria de prosseguir com este post e convido você a refletir, quesionar, discordar e compartilhar seus comentários.

O que é trabalho?

Gostaria de propor uma reflexão para você: O que é TRABALHO?

Em uma visita ao Museu da Língua Portuguesa, descobri a origem do termo TRABALHO:

Gosto de buscar compreender a origem das palavras, pois com isso descobrimos porque temos alguns comportamentos e atitudes. A palavra TRABALHO ainda traz uma carga negativa para maioria das pessoas. Por isso, acho fundamental questionarmos até o tema do post “FUTURO DO TRABALHO?”.

“Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem o dinheiro para recuperar a saúde.
E por pensarem ansiosamente no futuro esquecem do presente de forma que acabam por não viver nem no presente nem no futuro. E vivem como se nunca fossem morrer… e morrem como se nunca tivessem vivido. ” Dalai Lama

Ócio Criativo – Trabalho, lazer e aprendizado

Domenico De Masi é autor do livro “Ócio Criativo” que é um conceito no qual ele define trabalho como a
intersecção entre três elementos: trabalho, estudo e jogo. Quando o indivíduo consegue unir estes três pontos, ele está praticando o ócio criativo, que é uma experiência única e que proporciona uma melhor adaptação para as necessidades da sociedade pós-industrial, respeitando a individualidade do sujeito e proporcionando mais alegria e produtividade ao próprio trabalho. (Ler “Da Revolução Industrial à Revolução do Conhecimento“).

Ano passado, ele esteve no Brasil e participou do Roda Vida onde falou sobre as nas novas formas de trabalho e como as novas tecnologias possibilitam mudar completamente a relação trabalho/emprego/empresa. Ele também comenta sobre o aumento da expectativa de vida, o crescimento das mulheres no mercado de trabalho, as gerações digitais/analógicas e o crescimento da taxa de desemprego mundial. Veja a entrevista “Domenico De Masi no Roda Viva“.

Andrew McAfee: Como serão os empregos do futuro?

“O economista Andrew McAfee sugere que sim, provavelmente os andróides vão tomar nossos empregos — ao menos os tipos de empregos que conhecemos agora. Nesta palestra visionária, ele pensa sobre como podem ser os empregos do futuro, e como educar as próximas gerações para mantê-los.” Fonte: TED

Nesta fascinante palestra, Andrew McAfee traça um cenário aparentemente sombrio, porém no final ele cita uma frase de Abraham Lincoln:

“Eu acredito firmemente nas pessoas. Se receberem a verdade, elas podem ser confiáveis para enfrentar qualquer crise nacional. A grande questão é dar a elas os simples fatos.” Abraham Lincoln

Esta frase é muito atual e podemos fazer uma conexão direta com a a internet, pois ela traz toda verdade e os fatos em tempo real. Com isso, já existem diversos movimentos inovadores, criativos e REAIS que estão sendo criados por pessoas que já perceberão que devemos criar o futuro que desejamos.

Criando futuros desejáveis

Recentemente, participei do TEDxJardins – cuja tema foi “O Poder do Sorriso – Felicidade” – e tive o prazer de ver uma palestra da Lala Deheizelin que é uma especialista em economia criativa, desenvolvimento sustentável e futuros.

“O futuro é fruto dos sonhos do passado e escolhas do presente” – Crie Futuros

Nesta entrevista no programa Caminhos Alternativos, Lala Deheizelin fala sobre a economia do futuro que será baseada nos INTANGÍVEIS que são abundantes. E explica que a economia dos TANGÍVEIS baseados na escassez não é sustentável.

Uma nova visão do trabalho e negócios colaborativos

O trabalho no capitalismo tem como base a competição que é natural em uma economia baseada na escassez. Outra premissa do capitalismo atual é que uma pessoa deve ter UM emprego do qual irá retirar sua principal renda.

No livro “Como encontrar o trabalho de sua vida”, Roman Krznaric descreve de forma clara como podemos rever nossos conceitos para buscar um trabalho que realmente nos motive.

“Onde as necessidades do mundo e os seus talentos se cruzam, aí está a sua vocação.” Aristóteles

Roman Krznaric defende que uma das soluções para o mundo é fomentar a empatia como forma de aproximar as pessoas para criar um futuro melhor. Ele tem um projeto de criar um Museu da Empatia onde as pessoas possam compartilhar histórias. Poucas pessoas sabem, mas já existe um projeto chamado Museu da Pessoa que preserva a história de pessoas.

No meu post sobre a palestra “Uma nova visão do trabalho” que organizada pela School of Life Brazil, eu publiquei um vídeo sobre “The Power of  Outrospection”.

Oswaldo de Oliveira é especializado em negócios colaborativos e participei do curso “Negócios Colaborativos para uma nova economia em transição” onde percebi que uma das grandes tendências são espaços de trabalho colaborativos.

O crescimento de espaços de coworking e o aumento do trabalho Home Office são sinais das mudanças que apenas começaram. Conheço diversos espaços de coworking – Impact Hub, Natheia, Pto de Contato, Estúdio Capanema, Lab48, etc.  – porém, o Laboriosa 89 é um espaço colaborativo que segue a essência do trabalho em comunidade. Recomendo acompanharem o grupo no Facebook – https://www.facebook.com/groups/laboriosa89.

Autoconhecimento

A busca por autoconhecimento é uma tendência natural devido às grandes  mudanças. O filme “Eu Maior” é um grande marco que mostra o anseio das pessoas na busca da felicidade.

Também podemos notar um grande crescimento por eventos nos quais as pessoas se encontram para buscar INSPIRAÇÃO, IDEIAS e se CONECTAR com outras pessoas. Por este motivo, lancei o Portal Autoconhecimento.net.br para o qual buscamos colaboradores.

Então, qual é o futuro do trabalho?

Quem já acompanha o meu trabalho há algum tempo sabe que dei uma guinada do Marketing Digital para redes de ensino/aprendizagem. Na minha opinião, as pessoas devem sair da “Matrix” e do modelo de competição e buscarem modelos colaborativos onde a CONFIANÇA seja o principal critério de decisão.

Uma das pessoas que mais admiro e ainda não tive a oportunidade de conhecer pessoalmente, é o Sílvio Meira é uma das referências em inovação e estudos do futuro. Nesta entrevista, ele fala sobre Aprender, desaprender e reaprender.

O Guilherme Criscuolo – que é meu sócio na SBAP e um dos melhores designers de Prezi – me contou a história do webdesigner que desistiu de cobrar por seu trabalho e os clientes pagam quanto quiserem.

O próprio Hoppel explica em seu blog sua nova filosofia: “Se nós decidirmos trabalhar juntos, eu vou construir um site como um presente. Depois que estiver pronto, eu o entrego a você. Então, se considerar que o projeto valeu a pena, pode escolher algo justo como presente. Não há nenhum contrato, nenhuma negociação, nenhuma pressão.” Fonte: PEGN

Seria muita pretensão eu tentar responder esta pergunta, porém gostaria de colocar algumas reflexões (e provocações).

A arte e educação serão trabalhos mais valorizados.

Se a felicidade é feita de momentos, os profissionais que ajudarem a criar encontros e experiências serão valorizados. Tenho um projeto em parceria com meu amigo Paulo Barros – que é música, palhaço, ator, etc. – cujo objetivo é criar um portal de arte-educadores para eventos infantis. Visite o site www.Eduko.com.br.

Poderemos trabalhar onde e quando quisermos

Em uma economia baseada em confiança aliada à facilidade de comunicação, não haverá motivos para um emprego em tempo integral.

O trabalho será compartilhado e não individual

O que acontece quando um membro da família está em dificuldades? Os outros compartilham! O conceito de “família” deverá ser ampliado para comunidade (como os índios já faziam).

O professor será valorizado

Escrevi um post “Ser professor” onde narro a minha trajetória dos sites HTML até assumir meu lado professor. Como diz Adozinda Kuhlman na sua palestra do TEDx São Paulo:

“Ser professor é uma glória
É poder entrar para a história
Proporcionando à criança
Um futuro de esperança

Então, para concluir este (grande) post, acredito que:

O futuro do trabalho é ajudar as pessoas serem felizes.

Gostaria de convidá-los a visitar o site da www.AcademiaKonfide.com.br que tem o objetivo ser ser uma rede de ensino/aprendizagem baseada em 4 pilares: Vida Digital, Apresentações, Autoconhecimento e Educação. A propósito:

Konfide significa CONFIAR em esperanto

6 Responses to "Futuro do Trabalho – Você está preparado?"

  • anete oliveira
    24 de fevereiro de 2014 - 19:21 Reply

    Prezado Márcio

    Gostei muitíssimo desta matéria. Ajudou-me para refletir sobre organização de um plano de trabalho que estou preparando sobre informação profissional para alunos do nono ano do ensino fundamental. Se puder gostaria que vc sugerisse outros textos, site … sobre o assunto.

    Agradeço

    Anete Oliveira

  • Rafael Araújo
    19 de outubro de 2014 - 0:07 Reply

    Márcio.
    Incrível esse conteúdo. Já havia pensado em alguns tópicos desse assunto mas você conseguiu expandir meus pensamentos a respeito.
    Atualmente ministro a disciplina de ” Mercado e Carreira em Comunicação” e irei usar essa sua postagem como material em sala, tudo bem?

    Forte abraço

    Rafael Araújo

    • marciookabe
      19 de outubro de 2014 - 7:38 Reply

      Olá Rafael,
      Com certeza pode usar em sala de aula, será uma honra. Seria legal agitarmos algum cursos meu em Belém, pois gosto bastante de dar aulas aí.
      Creio que a área de FOTOGRAFIA também está atravessando uma transformação, pois o valor do trabalho não está apenas na FOTO. Saber como usar sites como Flickr, Animoto.com, Fotor.com e outros que ajudam a criar outras maneiras de apresentar as fotos.
      Abraços,
      Marcio Okabe

  • Renatho Siqueira
    18 de maio de 2016 - 13:34 Reply

    Cara, seu artigo está incrível.
    É o tipo de trabalho que eu recomendo como leitura para meus alunos de Pós Graduação e MBA.
    Parabéns pelo excelente texto.

    • marciookabe
      21 de maio de 2016 - 23:13 Reply

      Olá Renathi,
      Legal! Eu ministro palestras e tenho vários temas.
      Veja http://www.marciookabe.com

      Abraços,
      MarcioOkabe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *