Qual é o seu papel na vida?

“Tu és o que te habituaste a ser.”

Provérbio Árabe

Uma das minhas lembranças mais antigas (creio que deveria ter em torno de 7 anos) é de empinar arraia (pipa baiana) com meu pai no Jardim de Alah em Salvador. O Jardim de Alah é uma praia de Salvador que tem um coqueiral e o vento estava bem forte. Lembro que eu estava com o carretel na mão e, devido à força do vento, ele escapuliu das minha mãos e fomos correndo atrás dele. Lembro que estava rindo muito da situação e é um momento que marcou porque – apesar da simplicidade – foi um momento em que cada um estava plenamente em seu papel de pai e filho brincando.

 “As coisas mais simples são, muitas vezes, as mais genuínas”

Richard Bach

Leonardo da Vinci afirmava que “a simplicidade é o último grau da sofisticação”. Perante um mundo cada vez mais complexo, as pessoas estão procurando mais simplicidade para a vida profissional e pessoal. Essa simplicidade é indispensável para percorrer com sucesso o intricado caminho da vida.

Fonte: https://rcnonline.com.br/2.1170/a-dif%C3%ADcil-arte-da-simplicidade-1.1617571


Se Leonardo da Vinci já achava o mundo complexo, nem ele poderia SONHAR com o mundo que estamos vivendo.

Antes de falamos sobre “Qual é o nosso papel na vida”, quero lembrar que devemos agradecer os antepassados por toda sua dedicação e coragem.

Meu pai trabalhou 51 anos na Petrobrás e, como a maioria dos descendentes de japoneses, é muito disciplinado. Ele é “nissei” que é a segunda geração de imigrantes do Japão. Meus avós vieram do Japão no início do século de navio em busca da esperança de uma nova vida, pois o Japão era um país superpovoado e o Brasil incentivava a vida de imigrantes para lavoura de café (Ver imigração japonesa).

Vivemos um mundo em transição que – apesar de todos os desafios – é um mundo de abundância. Hoje é comum falarmos de propósito de vida e trabalho com significado, mas imaginem-se no início do século vindo para um país desconhecido e viajar a bordo de um navio por meses sem saber falar o idioma.

Meus avós e outros imigrantes, não apenas japoneses, tinham apenas um PAPEL na vida que era buscar sua sobrevivência.

A família do meu pai trabalhou na lavoura e ele teve a chance de ir estudar na USP em uma das primeiras turmas de geologia do Brasil. Surgiu a OPORTUNIDADE de prestar concurso para Petrobrás e já casado e com um filho de apenas 1 ano – meu irmão mais velho – ele mudou para Salvador onde mora até hoje. Nasci em Salvador, assim como meu irmão mais novo.

Nos anos de 1979 e 1980, a Petrobrás incentivou algumas famílias a morarem no Iraque para explorar petróleo. Foi um dos períodos mais incríveis da minha vida, pois com 10/11 anos tive oportunidade de viajar pela Ásia e ter experiências inesquecíveis como andar de elefante na Tailândia.

O papel do meu pai e da minha mãe era cuidar dos filhos.

Enquanto meu pai saía para trabalhar, minha mãe cuidava dos filhos como era o padrão nesta geração. Minha mãe foi professora em escola pública em Dracena/SP e sua paixão é cuidar de PLANTAS.

Aos 6 anos, minha mãe me ensinou a fazer ORIGAMI e lembro que o pássaro que bate asas foi um dos primeiros que aprendi. Meus irmãos não tinham tanto interesse por origami, mas eu gostava de aprender tudo que ela ensinava a FAZER COM AS MÃOS. Aprendi até a fazer tricô e lembro de fazer um cachecol, mas minha paixão era mesmo o ORIGAMI.

Um dia teve uma feira das nações com barraquinhas de vários países. Eu já tinha 15 anos e tive a ideia de fazer origamis para vender. Dobrei vários tsurus e outros tipos de origamis, coloquei em uma caixa de papelão e fui para feira vender. Sabe quantos eu vendi? NENHUM!!!

Este foi meu primeiro fracasso como empreendedor.

  • Quem poderia imaginar que décadas depois, o ORIGAMI seria um dos meus principais projetos? Que conseguiria transformar uma PAIXÃO em PROFISSÃO?
  • Quem poderia imaginar que não apenas seria um trabalho, mas uma MISSÃO de ajudar outros origamistas a viverem da sua paixão?
  • Quem poderia imaginar que daria aula de ORIGAMI para mais de 1500 professores(as) online e no TEDxSaoPaulo?
  • Quem poderia imaginar que um dia eu iria descobrir a VOCAÇÃO de ser palestrante e iria ministrar palestra de ORIGAMI e IKIGAI na fábrica Suzano SA em Mucuri no Sul da Bahia?

Quem poderia imaginar que lançaria o projeto Origami.club que SERÁ o maior marketplace de origami do MUNDO e um dia será o “Airbnb do Origami?”.

Como viver de ORIGAMI?
Depoimentos do Robert Lang, Gil Giardelli, Hilaine Yacoub e outros.

O origami é a arte milenar japonesa de DOBRAR PAPÉIS. É incrível a magia de dobrar uma folha de papel – em geral quadrada – e ter INFINITAS POSSIBILIDADES de criar animais e outros objetos.

E SE… Cada pessoa fosse como uma folha de papel ao nascer? Nossos pais/mães são os primeiros “origamistas” que começam a nos ajudar na nossa jornada de descobrir nosso PAPEL NA VIDA. Depois vamos para escola e os PROFESSORES(AS) também colaboram com suas DOBRAS.

Até que um dia, nós temos que assumir os rumos da nossa vida e DOBRARMOS A NÓS MESMOS.

Qual é o seu papel na vida?

Acredito que muitas pessoas buscam um PROPÓSITO por motivações externas, ou seja, para satisfazer os anseios de outras pessoas. O ser humano tem a necessidade de pertencimento e quando muitas pessoas falam que descobriram seu PROPÓSITO DE VIDA, você também sente a necessidade de falar que também tem um propósito.

Hoje eu vejo com clareza que somente encontramos a resposta para quem realmente SOMOS ou quem queremos SER quando olhamos para DENTRO DE NÓS e descobrimos o que nos MOTIVA sem a necessidade de aprovação dos outros.

O IKIGAI é uma filosofia de vida japonesa que significa RAZÃO DE VIVER e se popularizou com a imagem dos quatro círculos com as perguntas abaixo.

A verdade é que IKIGAI não é algo grandioso como ter um grande propósito na vida que é a versão ocidental. IKIGAI é viver cada dia fazendo O QUE DEVE SER FEITO com cuidado, GENTILEZA e, principalmente, SERVINDO a outras pessoas e a a sua COMUNIDADE.

Encontrei, ou melhor, CONSTRUÍ meu IKIGAI no ORIGAMI e gosto da imagem da LOGOSOFIA do homem esculpindo-se a si mesmo.

“Todos têm um propósito na vida… algo único para dar aos outros. E quando misturamos este talento com o serviço aos outros, experimentamos o êxtase de nosso próprio espírito, o que é objetivo último de todos os objetivos”.

Deepak Chopra
Fonte – https://guiadaalma.com.br/lei-do-darma/

Como cheguei ao ORIGAMI? Quando completei 49 anos em 2017 estava cansado do Marketing Digital e de não ter sucesso nos meus projetos. Lembrei da frase do livro “As sete leis espirituais do sucesso” que era a forma como Deepak Chopra usava para orientar seus filhos.

“Descubra o que faria de graça o resto da vida e depois dê um jeito de ganhar dinheiro com isso.”

Deepak Chopra

Levei vários anos nesta jornada de autoconhecimento e aprendi que é preciso ter CORAGEM para seguir nossa INTUIÇÃO.

Convido você para começar a sua jornada ikigai e, não descobrir, mas DOBRAR SEU PAPEL para sua vida.

A lei do darma diz que todo ser humano tem um talento único. Ou seja, você tem um talento só seu. Ele é único na sua expressão e tão específico que ninguém mais em todo o planeta tem um igual, ou maneira parecida de expressá-lo.

Maria Ana Grolla
Fonte – https://www.mariaanagrolla.com.br/a-lei-do-darma/

Deixe um comentário