Unicamp – Sonhos e realizações

Há algumas semanas tive o prazer de voltar para Unicamp e reencontrar ex-colegas de engenharia elétrica para o evento de entrega do título Honoris Causa para Cristiano Amon – um ex-colega de turma da Elétrica 1988 – que alcançou o maior cargo de um ex-aluno da Unicamp.

Tive a honra de presenteá-lo com o mestre Yoda de Origami. Também ensinei o seu filho a fazer o avião bumerangue e dei para sua esposa uma luminária de origami.

Eu AMO a Unicamp e tenho muitas saudades do tempo de faculdade, pois sem dúvida foram os melhores anos da minha vida.

Lembro que eu imaginava em ser um grande engenheiro, fazer pós-graduação em seguir a carreira de engenheiro. NUNCA iria imaginar que teria uma trajetória empreendedora tão cheia de desafios.

Eu acredito que…

Nada é por acaso

A foto que tirei com o Cristiano me trouxe algumas reflexões, pois são carreiras tão opostas que a vida cria estes encontros inusitados. Além do origami que dei para ele, dei de presente uma luminária de origami para sua esposa e ensinei seu filho a fazer o avião bumerangue.

Após completar meio século de vida, a nova carreira que decidi seguir no ORIGAMI está começando a decolar e se tornou meu IKIGAI. Hoje me apresento como:

Origamista por paixão, educador (maker) por missão e palestrante por vocação

Em 2015, fui o vencedor de uma competição de projetos inovadores de educação – Edu4.me – com o projeto Konfide.Education para ser uma escola online de programação e robótica para crianças.

Me tornei palestrante profissional sendo que meus principais temas são de Educação e IKIGAI.

Quando entrei na Unicamp, eu tinha 19 anos e muitos SONHOS. Hoje, com 51 anos aprendi que a vida nos reserva surpresas – algumas boas, outras ruins – e que sempre devemos ter humildade para APRENDER.

Não sou mais jovem e meu filho mais velhos está com 16 anos e logo vai prestar vestibular. Quem sabe, ele decide fazer Unicamp? Só o tempo dirá.

Só sei que há momentos que temos saudades e fui ver no Wikipedia e descobri que uma das fotos da história da Unicamp foi tirada por mim de cima da torre de água da praça central. Hoje em dia, seria facilmente tirada por um drone…

Deixe uma resposta