Meta SMART é burra

Ter metas é importante e usar uma metodologia como a SMART (Specific, Measurable, Achievable, Realistic, and Timely) é uma boa prática para atingir seus objetivos, correto?

ERRADO!

Vishen Lakhiani explica os motivos porque a técnica SMART não é eficaz para atingir suas METAS FINAIS que são as que realmente importam e que nos tornam pessoas plenas.

  • (S) Específica – Como ser específico para atingir objetivos que sua intuição e espírito estão tentando te inspirar? Ser específico te impede de ACOLHER O INESPERADO.
  • (M) Mensurável – “A medição destrói seus estados emocionais”. A cobrança de medidas no fazem definir metas menores

4 Comments

A provocação é para encontrar um trabalho que traga sentido para sua vida. Eu encontrei no ORIGAMI o meu sentido para trabalhar com paixão. Aplicar a meta SMART em algo que não tenha um significado é a ideia para refletir.

É a primeira vez que vejo uma crítica ao método SMART, mas no fim não é uma crítica, ou pelo menos não foi concluída.

Você diz que ser específico é ruim pois nos impede de acolher o inesperado.
Eu já vejo uma discordância de imediato, pois se estamos sendo específicos estamos definido um escopo e escopo está relacionado a previsão. E se desse para prever o imprevisto não seria imprevisto e com certeza seria considerado na composição do escopo.

Eu vejo que o que deve ser feito e a adequação do escopo frente as mudanças.

É normal e natural que não consigamos ter 100% de controle, e devemos estar abertos a isso e pensarmos um alternativas QUANDO os imprevistos acontecerem.

Sobre ser mensurável e a medição destruir seus estados emocionais eu acredito que não sou capaz de te entender.
Como que a medição de algo intangível pode destruir sendo que isso nem existe na prática. No meu entendimento um estado emocional é algo que evolui e se estou fazendo a sua medição, estou automaticamente refletindo sobre esse e isso sim tem poder de alterar o estado, seja para pior ou melhor. Então medir pode tanto destruir como construir, aí só depende do indivíduo.

E sobre a conclusão, no ponto que a medição nos fazem definir metas menores, quem disse que isso é ruim? Eu vejo do contrário, ter metas menores, várias delas é melhor que poucas grandes.

É mais favorável concluir 10 atividades pequenas por dia do que 1 grande.

Obrigado pelo comentário, seria ótimo uma conversa pessoal ou, quem sabe, uma LIVE. Acabei não concluindo o post porque deixei o vídeo do Vishen Lakhiani.
Acredito que uma coisa não exclui a outra, mas o que vale é a reflexão. Muitas pessoas aplicam mecanicamente técnicas como SMART ou POMODORO (de produtividade) em algo que não que faça sentido para sua vida. Eu, por exemplo, tive agências digitais e definitivamente não é o que quero fazer quando fica velho… Porém, ORIGAMI farei até morrer.

Deixe um comentário